Projetusnet – Criação de Sites, Webdesign, Outdoor, Busdoor - criação de sites personalizados e mídia exterior>

Monthly Archives: novembro 2015

Comentários desativados em Dicas do fundador do Waze sobre começar um negócio de sucesso

Dicas do fundador do Waze sobre começar um negócio de sucesso

Em entrevista para o meu livro “A Revolução das Startups”, Uri Levine deu 4 dicas super relevantes para criar um negócio tão bacana como o dele.

O Uri Levine é a fera genial que ajudou a criar o Waze. Bom, se você já usou, sabe o quanto o negócio é sensacional para evitar o trânsito e ajudar você a ir aonde quer. Se não usou – tá doido? O app é bom demais.

Você sabia que o Waze tem ajudado a melhorar o trânsito em vários lugares do mundo, mais do que departamentos inteiros do governo? Legal, né, mas o mais top é que em entrevista para o meu livro “A Revolução das Startups”, Uri Levine deu 4 dicas super relevantes para criar um negócio tão bacana como o dele.

“Se apaixone pelo problema que você quer solucionar – não pela solução”

Essa é uma daquelas clássicas que precisamos lembrar e lembrar novamente, pois as pessoas continuam esquecendo. Não comece um negócio pensando “eu tenho algo legal aqui, o que posso resolver com isso?”. Não será específico para nenhum problema, portanto, sempre perderá para as soluções que vieram para aquilo. Essa foi a justificativa do Uri.

Empreendedorismo é uma resposta a um problema, você quer solucionar algo e resolveu criar o seu jeito. Então, por onde começar? Apaixonando-se por aquilo que quer resolver, não pelo “como”. Até porque, para pensar nas melhores alternativas e estar sempre inovando, a paixão pelo problema vai ser mais relevante.

“Foco não é o que você está fazendo, mas aquilo que não está – essas são as decisões difíceis”

Você certamente vai encontrar muitas alternativas para resolver o problema e milhões de incrementos, porém isso requer tempo, dinheiro e energia que você acaba dividindo. O grande segredo é saber o que você não deve fazer, pois para começar é mais importante estar atento aonde não ir.

É uma ótima forma até de começar a trabalhar qual solução você quer desenvolver, evitar caminhos em que a competição já é terrível e que também não vão de acordo com as suas crenças. Já é bem interessante para definir o ambiente a ser explorado.

“Cometa seus erros rápido, para consertar rápido”

A essência do Startup Lean, ou seja, um dos conceitos mais aplicados pelas startups, é esse: erre rápido para saber o que funciona e o que não funciona. Não fique indagando e imaginando, vá descobrir fazendo e consertando.

A questão é que ele destaca muito em aumentar a velocidade em que esses erros e ajustes são cometidos. Quanto menores são os períodos, mais rápido você está evoluindo e chegando a uma solução.

“Como você pode fazer o mundo melhor? Não só para você, para todo mundo”

Aqui temos duas questões super importantes que ele quis destacar. A primeira é a de realmente estar fazendo algo significativo, do qual você se orgulhe de estar resolvendo e ajudando… E dentro desse ponto, o de estar ajudando, vem a segunda questão, que consiste em ser algo que não deve ser apenas para você ou para um grupo muito pequeno de amigos, mas para um grupo muito grande pessoas.

Se você quer criar algo de sucesso, que venha a fazer a diferença no mundo, precisa fazer com que ele ajude muita gente, senão será apenas uma invençãozinha sua para você mesmo (não que isso seja um problema, mas não é o empreendedorismo que você pode entregar à humanidade).

Essas são as 4 dicas relevantes para você refletir quando estiver pensando no empreendedorismo. O Uri comentou que isso foi decisivo para começar o Waze, e suas outras iniciativas atuais, e também vai usá-las nas que ainda virão. Boa sorte e curta seu Free LifeStyle.

 

Fonte: www.administradores.com.br

Comentários desativados em O que o Google anda fazendo para conter o spam?

O que o Google anda fazendo para conter o spam?

A partir de junho 2016, o popular serviço do Gmail irá rejeitar quaisquer mensagens que não passem pelas verificações de autenticação que fazem parte das políticas do DMARC

O Google anunciou recentemente que está intensificando seu compromisso com o DMARC (Domain-based Message Authentication, Reporting & Conformance). A partir de junho 2016, o popular serviço do Gmail irá rejeitar quaisquer mensagens que não passem pelas verificações de autenticação que fazem parte das políticas do DMARC.

A adoção do DMARC pelo Google é um enorme passo na direção certa para a implantação global destas políticas e uma “marca” da estabilidade do DMARC em geral. O Yahoo! anunciou anteriormente que iria praticar essa mesma política. E o Google, por sua vez – e como o maior provedor de e-mails do mundo –, se movendo para rejeitar estas mensagens duvidosas, também é um grande endosso para o mercado.

E o que isso significa para empresas que atuam na área de serviços financeiros e de outras organizações para garantir que elas não sejam negativamente afetadas por estas mudanças? Com base em nossa experiência, implementar plenamente o DMARC no lado do remetente, combinada com as recomendações do BITS (The Financial Services Roundtable), aqui estão os cinco passos que recomendamos para se certificar que sua organização estará em conformidade com o DMARC em conformidade antes destas mudanças efetivamente acontecerem.

1) Auditoria: criar um inventário dos domínios de e-mail da sua organização, caixas de e-mail e tipos de e-mail, incluindo todos os domínios de envio de e-mail ativos, bem como domínios inativos registrados para fins defensivos ou proteção da marca. Os domínios ativos podem conter vários fluxos de e-mail provenientes de diferentes grupos ou fornecedores. Os dados fornecidos pelo DMARC ou o chamado Trusted E-mail Registry pode aumentar a pesquisa interna e reduzir o custo de descobrir “correntes” de e-mail com problemas;

2) Detectar: comparar e contrastar dados do mundo real com a sua estratégia de implementação de autenticação de e-mails previamente indicados;

– PUBLICIDADE –

3) Remediar: resolva os problemas de implementação de autenticação de e-mail ou problemas operacionais descobertos durante a auditoria ou ainda na fase de detecção dos problemas;

4) Assegurar: implementar políticas de bloqueio para ambos os domínios ativos e inativos. A publicação de uma política de bloqueio permite ISPs (provedores de Internet) participantes a impor quarentena ou rejeitar e-mails não autenticados em seu nome;

5) Monitorar: continuar a procurar novos sinais de abuso, problemas operacionais, mudanças na topologia da rede, entre outras anomalias. Agressivamente perseguir as quedas do serviço para ganhar a reputação ao se tornar um “alvo difícil”.

O DMARC é um padrão de autenticação muito útil, que vai ajudar a reduzir a quantidade de spams entregues em todo o mundo. Enquanto muitas organizações não acreditam nesta adoção, a iniciativa do Google para ter uma rigorosa política de rejeitar e-mails “ruins” com base no DMARC significa que nenhuma empresa que pretenda se comunicar com seus clientes poderá continuar a ignorá-lo.

Daniel Ingevaldson é CTO da Easy Solutions.

 

Fonte: www.administradores.com.br